amares e minho alianca europeiaO ISAVE- Instituto Superior de Saúde é parte integrante de um consórcio europeu, pioneiro numa iniciativa lançada recentemente pela Comissão Europeia, no âmbito do Programa ERASMUS +, as “Universidades Europeias”.

Pretende a Comissão Europeia, com esta iniciativa piloto, que as instituições de ensino superior possam “melhorar significativamente a mobilidade e fomentar a elevada qualidade e excelência da educação e da investigação, reforçando o nexo entre ensino, a investigação, a inovação e a transferência de conhecimentos, (…) desenvolvendo projetos conjuntos de educação e investigação”.

Assim, o ISAVE, juntou-se à DIAK – Universidade de Ciências Aplicadas de Helsínquia, Finlândia; à Universidade de Málaga, Espanha; à Universidade de Ciências Aplicadas de Würzburg, Alemanha; à Universidade de Brasov- Transilvânia, na Roménia; e, finalmente, à VID- Universidade de Ciências Aplicadas da Noruega com

o objetivo de responder aos desafios lançados nesta iniciativa e com a missão de tornar, a médio prazo, o Ensino Superior mais atrativo, inclusivo e responsável. Este consórcio assinou um memorando de entendimento que assenta no princípio de que “ninguém pode ficar para trás”, numa era particularmente exigente para a sociedade. Pretende o ISAVE, juntamente com os restantes membros do consórcio, contribuir para a transformação societal que vivemos, através de ações como a transformação dos currículos, graus, formas e metodologias de aprendizagem, em conjunto com uma maior abertura à possibilidade de providenciar oportunidades de aprendizagem para todos.

A Aliança recentemente formalizada em candidatura tem vindo a estabelecer-se ao longo dos dois últimos anos e assenta no que são chamados os princípios dos 3E’s: Excelência, Ética e Envolvimento. Em caso de aprovação da candidatura, as Instituições de Ensino Superior (IES)  do consórcio irão desenvolver um conjunto de ações que permitam responder aos três princípios anunciados, envolvendo ativamente estudantes e docentes, mas também todas as comunidades adjacentes aos espaços onde as ações do projeto-piloto se irão desenrolar. Assim, Amares e a região do Minho em particular, poderão beneficiar de um conjunto de iniciativas que promoverão o desenvolvimento local e comunitário, através da colaboração com instituições pares/ similares de outros países, usufruindo da maior abertura à comunidade por parte das instituições de ensino superior e da sua internacionalização. Seja por via da participação ativa em estudos e investigação, seja pelo envolvimento no exponenciar de soluções e produtos relevantes para a região, criando redes de conhecimento e partilha, o ISAVE, assim como os parceiros, estará a contribuir para o desenvolvimento social e económico da região.

A candidatura às Universidades Europeias foi submetida no passado dia 28 de fevereiro, encontrando-se em fase de análise. A Comissão Europeia anunciou hoje, entretanto, a validação de 54 candidaturas, das quais 20 serão financiadas ao longo de três anos.